Jornal O Globo 31/07/2015

Hotel que hospedou Noel Rosa e Di Cavalcanti, Bragança ressurge no coração da Lapa.

RIO — Após décadas de abandono, a arquitetura eclética do prédio do antigo Grande Hotel Bragança ressurge imponente no Largo da Lapa. O imóvel teve a fachada restaurada e as duas cúpulas reconstruídas. O edifício original, de quatro andares, foi preservado e terá 14 quartos. Nos fundos do terreno, foi erguido um anexo, onde funcionará um hotel três estrelas que espera atrair jovens executivos que usam o Santos Dumont.

Segundo o coordenador do projeto Manuel Fiaschi, da a+ Arquitetura, a obra será concluída em outubro. A previsão é que o hotel seja aberto ao público em janeiro de 2016, mas a bandeira que irá administrá-lo permanece em sigilo. Ele explica que o trabalho de restauração foi acompanhado por órgãos de patrimônio, como Inepac e Iphan:

— Esse prédio é uma joia, mas estava muito deteriorado. Quem ficar hospedado no Bragança, um exemplo marcante do ecletismo, terá contato com uma arquitetura do Rio Antigo.

Responsável pelo projeto de engenharia, Vanessa Pontes explica que 90% da obra já estão concluídos.

— Do prédio antigo, mantivemos só as fachadas e fizemos um reforço estrutural. O interior passou por um retrofit — disse.

Erguido em1906, o Grande Hotel Bragança hospedou artistas como Noel Rosa e Di Cavalcanti. Fechado desde os anos 1940, foi invadido na década de 1990 e chegou a ser habitado por 70 famílias. A desocupação veio em 2010, junto com a interdição feita pela Defesa Civil. Com uma dívida de IPTU de R$ 2,5 milhões, foi leiloado pela prefeitura.

Para Washington Fajardo, presidente do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade, a restauração é um sinal de que o Rio, aos poucos, se reencontra com sua história:

— Esperamos que surjam mais exemplos como esse.

O historiador e arquiteto Nireu Cavalcanti elogia a iniciativa, mas cobra mais ações da prefeitura na região.

— É preciso criar condições para que essa região seja revitalizada — diz.